Módulo 5 - Estrutura do Tráfego na Internet

O tráfego na internet é o segredo por trás do sucesso de qualquer marca ou produto online. Por exemplo o Facebook não seria nada se as pessoas não acessassem a plataforma, e toda vez que o número de usuários cai, os rumores de fracasso aparecem.

No nosso caso não é diferente, se você quer monetizar através da internet precisa fazer com que as pessoas acessem seu site, blog ou portal.

Para isso existem várias fontes de tráfego, por exemplo, você pode distribuir um panfleto com sua URL e esperar que as pessoas entrem nela.

É claro que esse exemplo é bem simplório, mas existem fontes de tráfego que geram bons resultados, e para cada fonte você precisa usar a estratégia certa.

Principais fontes de tráfego

  • Social
  • Orgânico
  • Pago

Para uma estratégia avançada, um tráfego irá completar o outro. Ou seja você precisa ter sites posicionados nos buscadores, assim como precisa ter relevância nas redes sociais para então comprar tráfego depois que a base está pronta.

Pois como já falamos, assim que alguém ficar sabendo de uma novidade através de um anúncio, ela vai buscar reviews em sites/blogs e nas redes sociais.

Orgânico para CPA

O afiliado que só vive de trafego orgânico para ofertas de CPA, vira e mexe esta com problemas de caixa, pois apesar de ele ter um custo super baixo para converter, ele depende do trafego pago que alguém está fazendo em algum lugar.

Sim, isso acontece porque as pessoas só iram buscar por determinada palavra-chave no Google ou Bing, se ela já conhecer essa palavra, se ela em algum lugar ouviu falar. E quando ninguém está falando dessa oferta, ninguém lembra também que ela existe.

Por isso o afiliado do SEO é o cara que come pelas beiradas. É claro, você pode fazer bastante dinheiro dessa maneira, mas lembre sempre que você depende da mídia que alguém está comprando, e se esse alguém deixar de comprar, não adianta nada ter os sites nas primeiras posições do Google.

Media Buy para CPA

A compra de tráfego é a melhor maneira de monetizar com CPA, pois você tem todo o controle de acessos, cliques e target. Ou seja, se você quer se tornar profissional no assunto, precisa entender disso.

Além disso você não fica na mão do Google com suas atualizações malucas, ou então de concorrentes que compram caminhões de backlinks, ou possuem suas PBNs altamente otimizadas. Quando você é um media buyer(profissão muito requisitada hoje nos EUA e Brasil), você tem o controle nas suas mãos.

Social para CPA

Não é interessante! Sim, simples assim. Porque todo o trabalho que você terá paga gerar engajamento com sua página ou perfil pode não ser recompensado na hora que você quiser promover uma oferta nesse canal.

Por exemplo, você cria uma página no Facebook para o publico feminino, e faz 5 posts por dia sobre saúde e emagrecimento. Conquista o publico, e depois de 1 mês alcança 1000 pessoas que curtiram sem você gastar 1 centavo.

Então você resolve promover alguma oferta, e percebe que das 1000 apenas 6 clicaram e apenas 2 curtiram a publicação. Isso pode acontecer por dois motivos:

  • Ou você não usou a copy certa para a publicação e as pessoas encararam como um anúncio mal feito;
  • Ou porque 1000 pessoas seja um número muito pequeno de seguidores, e o Facebook entregou sua publicação para apenas 170 pessoas. Ou seja, das 1000 apenas 170 viram o que você colocou, pois não gerou engajamento.

É claro, existem outros fatores, mas como nossa intenção não é fazer Brand (fortalecer a marca), e sim gerar conversão, você deve usar o tráfego social pago. Esse sim converte!

O que é isso: Você usar o Facebook por exemplo, como uma Native Ads, ou seja, você vai promover posts como se fossem conteúdo, que mandam para paginas advertoriais ou blog pessoal.

O usuário da rede social vai encarar aquilo como uma publicação de um amigo, ou uma página interessante e provavelmente vai clicar.

Envie sua dúvida

para publicar um comentário.